Página Inicial / Geral / 26/10 AGORA POUCO: Desarticula grupo que comercializava pela internet carteiras funcionais com brasão da República e sinais de órgãos públicos sem a devida autorização

26/10 AGORA POUCO: Desarticula grupo que comercializava pela internet carteiras funcionais com brasão da República e sinais de órgãos públicos sem a devida autorização

09e023d1-5472-49d3-be42-9e82dc1d320c.jpg
4b691de8-1770-456c-93a2-1d1c4fb89842.jpg
55a82477-4ad6-4597-bef1-3d5f9fc81ea0.jpg
829ef08e-6a88-4391-a418-d6482c48815d.jpg
86922488-e0ac-4aed-a2e2-6288352d2467.jpg
b1199e7a-aa14-4652-92f6-19c439cc07d7.jpg
bc162262-d822-4de8-b329-7a19ce2ca55a.jpg
ed4f6f77-6e2b-4d54-acdb-2faa05ca855b.jpg

Sorocaba/SP – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (26/10) a Operação IDENTITY, com o objetivo de desarticular grupo criminoso voltado à falsificação de documentos públicos e uso indevido de símbolos e sinais de órgãos da Administração Pública e do Poder Judiciário, mediante a venda, pela internet, de carteiras do tipo porta identidade funcional, confeccionadas com o brasão da República e demais símbolos, dísticos e sinais de órgãos públicos, sem a devida autorização.

Estão sendo cumpridos dois mandados de busca e apreensão, dois mandados de prisão preventiva e duas ordens judiciais de retirada de conteúdo de sites da rede mundial de computadores – internet.

As ordens judiciais, expedidas pela 1ª Vara da Justiça Federal em Sorocaba, estão sendo cumpridas nas cidades de Goiânia/GO e Toledo/PR.

As investigações começaram em fevereiro de 2020, em Sorocaba/SP, com a prisão em flagrante de um indivíduo que portava falsa identidade funcional de Delegado de Polícia Federal, bem como uma carteira do tipo porta funcional, na qual constavam o brasão da República e a inscrição Poder Judiciário Federal.

Com o avanço das investigações, foram identificados os supostos responsáveis pela venda indiscriminada, pela internet, de carteiras do tipo porta identidade funcional dos mais variados órgãos e entes públicos, sem nenhum tipo de controle ou autorização legal.

Os crimes investigados são previstos nos artigos 297 (falsificação de documento público), 304 (uso de documento falso), 307 (falsa identidade) e 296, § 1º, inciso III (falsificação de selo ou sinal público), todos do Código Penal.

Fonte/Foto: Comunicação Social da Polícia Federal em Sorocaba

Você pode Gostar de:

PF prende no Ceará suspeita de integrar facção criminosa

Fortaleza/CE – Operação integrada da Força-Tarefa SUSP de Combate ao Crime Organizado no Estado do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *