Página Inicial / Geral / AGORA: Rússia reconhece independência de territórios separatistas na Ucrânia, medida facilita movimentação de tropas e armas para perto de Kiev

AGORA: Rússia reconhece independência de territórios separatistas na Ucrânia, medida facilita movimentação de tropas e armas para perto de Kiev

RTP - Rádio e Televisão de Portugal

O presidente russo Vladimir Putin assinou hoje (21) decreto que reconhece duas regiões do leste da Ucrânia como independentes. Com a medida, Donetsk e Luhansk não serão mais reconhecidas como território ucraniano, o que abre espaço para a livre movimentação de tropas russas em direção à capital ucraniana, Kiev.

Em discurso, Putin afirmou que o governo ucraniano não cumpriu promessas de cessar-fogo. “Preciso tomar uma decisão que já deveria ter tomado: reconhecer a independência”, disse Putin em rede nacional, segundo informa a agência pública de notícias de Portugal RTP.

Durante a fala, Putin acusou a Ucrânia de bombardear áreas civis e matar moradores das áreas separatistas. “A Rússia fez tudo o que podia para manter a integridade territorial da Ucrânia.

Mas foi tudo em vão”, declarou. “Os governantes de Kiev têm de parar com estas hostilidades e derramamento de sangue em Donbass. Caso contrário, qualquer consequência terá de pesar nas suas consciências.”

Tanto o primeiro-ministro britânico Boris Johnson quanto o chanceler alemão Olaf Scholz já haviam advertido Putin sobre um possível movimento de anexação ou liberação dos territórios da parte leste da Ucrânia. A União Europeia prepara sanções econômicas, que deverão ser anunciadas em breve contra a Rússia.

Mais cedo, os Estados Unidos haviam proposto uma nova rodada de negociações de paz com a Rússia em um encontro de presidentes. A condição imposta pelo presidente Joe Biden, no entanto, não foi cumprida pela Rússia. Entre os termos do acordo, a não invasão de território ucraniano.

Fonte: Agência Brasil * – Brasília Foto: Arquivo

Você pode Gostar de:

VÍDEO AGORA POUCO: Após divergência, conselho da Petrobras autoriza reajuste do diesel

Fonte: Vídeo do YouTube/CNN BRASIL       Foto: Arquivo