Página Inicial / Fiscalização / OPERAÇÃO PF: CAIXA detecta movimentação fraudulenta praticada por um advogado no valor de 4 milhões de reais

OPERAÇÃO PF: CAIXA detecta movimentação fraudulenta praticada por um advogado no valor de 4 milhões de reais

972efcbf-d6ef-4f2d-ac51-23775f4c4ce8.jpg

Recife/PE – A Polícia Federal deflagrou ontem (11/5) a terceira fase da Operação 4 Milhões, em Pernambuco.

Policiais federais deram cumprimento a um mandado de prisão preventiva e a cinco mandados de busca e apreensão, além do bloqueio de contas bancárias e sequestro de imóvel.

Todas as medidas cautelares foram expedidas pela 4ª Vara da Justiça Federal de Pernambuco.

Os mandados foram cumpridos simultaneamente em Camaragibe/PE(01) e Moreno/PE(04), e foram empregados aproximadamente 30 policiais federais.

As investigações se iniciaram em outubro de 2020, quando a Caixa Econômica Federal detectou movimentação fraudulenta praticada por um advogado.

Ele apresentou uma Procuração Pública lavrada no Cartório de Moreno/PE, com base em um documento de identidade falsificado, e conseguiu levantar o precatório no valor de 4 milhões de reais, na Agência da CAIXA, localizada no TRF da 5ª Região, nesta cidade do Recife.

Posteriormente, a verdadeira beneficiária do processo apresentou-se à Agência da CAIXA para receber o referido precatório.

A investigação identificou o líder desta ORCRIM, que foi preso, e outros membros envolvidos.

Os integrantes da ORCRIM são investigados pela prática dos crimes de Estelionato qualificado, associação criminosa, lavagem de dinheiro e constituir/integrar Organização Criminosa, tipificados nos artigos 171, º3º e 288 do CPB, artigo 1º da Lei 9.613/98 e art. 2º da lei 12.850/2013.

Penas que se somadas, em caso de condenação, podem chegar a 30 anos de reclusão.

Fonte/Foto: Comunicação Social da Polícia Federal em Pernambuco

Você pode Gostar de:

PF prende no Ceará suspeita de integrar facção criminosa

Fortaleza/CE – Operação integrada da Força-Tarefa SUSP de Combate ao Crime Organizado no Estado do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *